poemas


A praia azul com a

Bandeira verde está.

Calor de rachar!

Dar um mergulho vou.

Estrela-do-mar sou!12po_sumbeac

Feliz compro

Gelados no

Hipermercado. Vou até à

Ilha

Jantar no restaurante, passear no

Lago, jogar

Monopólio,

Nadar nas

Ondas da

Praia azul, comer

Queques no

Rio,

Saltar no

Trampolim! No

Último dia de férias fazemos a

Viagem para casa. Ainda jogo

Xadrez mas

Zás, trás, acabaram-se as férias!

Vanessa Marques, 5.º A

ilustração: Bookmakers


Anúncios

Água

Bandeira verde

Campismo

Dormir

Estrela-do-marpraia

Férias

Galiza

Hipopótamo

Ilha

Jogar raquetes

Limonada

Mar

Nisa

Óculos de sol

Piqueniques

Quinta da avó

Rio

Satisfação

Toalha de praia

Último dia de aulas

Viagem

Xaile para as noites frias

Zás, trás, pás, acabaram-se as aulas!!

Raquel Duarte, 5.º A

Algarve

Brincar

Cantar

Dormir

Estudartaça gelado

Falar

Gelados apreciar

Hipopótamos, no Zoo, visitar

Ilhas

Jogar voleibol

Luar

Monopólio jogar

Nadar

Ondas apanhar

Praia

Quiosques

Risos

Sorrisos

Ter uma concha

Último dia de aulas

Varrer a casa

Xadrez jogar

Zás, as férias estão a chegar!

Magda Oliveira, 5.º A

Mancha de Tinta Apaixonados

São precisos dois

para formar uma família.

Voltados um para o outro,

vivendo em harmonia,

lembrando que a união

tem de existir

dia-a-dia.

 

Para ter uma família

é preciso amor,

ela é que nos dá calor…

Representa muito para mim,

a minha família querida…

foi ela que me deu a vida.

 

Bruno Marques, 5º B

Mancha de Tinta vulcão 

Olha o vulcão

que destrói

o meu coração….

Dói, dói, dói….

 

A natureza morre

 a seus pés…

(Dela não gosta…)

Lança a lava

que corre

pela encosta….

 

O mundo entristece

e eu também

ninguém vai esquecer

o que nos fez sofrer.

 

Jorge Barrocas, 5º B

Mancha de Tinta Pião 

O pião rodopia,

rodopia sem parar

gira à volta das cores

que o tornam espectacular…

 

Vai ficar a rodar,

na minha imaginação.

Quero sempre lembrar

o meu rico pião.

 

Miguel Jesus, 5º B

Se eu fosse uma cor, seria vermelho porque é a minha cor favorita.

Se eu fosse um animal, seria um papagaio porque é muito colorido.

Se eu fosse uma música,  seria pop porque dancei quando era pequena.

Se eu fosse uma comida, seria porque um ovo estrelado porque como muitos na Primavera.

Se eu fosse uma flor, seria uma violeta porque o roxo é lindo.

Se eu fosse um livro, seria de poesia porque ela está no meu coração.

Se eu fosse um filme, seria um policial porque o meu tio é polícia.

Se eu fosse um instrumento musical, seria uma caixa chinesa porque a toco na aula.

Se eu fosse um material escolar, seria uma borracha porque é macia.

Se eu fosse uma fruta, seria uma nêspera porque como muitas no Verão.

Vanessa Marques, 5.º A

menina-chinesa

QUE GRANDE DOR DE BARRIGA!

1 menino gostava de

2 sabores de gelado. Comprou

3 cones com

4 cores diferentes. Com

5 euros comprou

6 donuts com

7 cremes diferentes. Comeu tudo em

8 dentadas. Ficou com

9 dores de barriga. Tomou

10 medicamentos e ficou bom!

Raquel Duarte, 5.º A

numeros1

O PROFESSOR BONDOSO

1 professor andava a passear. Viu

2 portas partidas,

3 árvores sem folhas,

4 muros altos,

5 pessoas com fome e

6 casas destruídas. Deu

7 voltas em

8 bairros. Parou

9 vezes na rua e deu

10 bolos a cada pessoa.

Priscila Milagaia, 5.º A

numeros2UM DIA DE COMPRAS

1 jovem bonita foi a

2 lojas de roupa em saldos. Comprou

3 vestidos,

4 pares de sapatos,

5 saias e 5 camisolas.

6 empregados disseram que era

7 euros. A jovem admirou-se. Saiu e viu

8 amigas que tinham comprado

9 casacos. Apanharam o autocarro n.º

10 e voltaram às suas casas.

Vanessa Marques, 5.º A

Imagens daqui.

BRANCO

(versão original)

A neve que cai do céu,

como brancas penas d’asas

já pôs um branco chapéu

no cocuruto das casas.

 

E sobre a terra com frio

estende um lençol macio.

 

A neve é da cor da cal,

das pombas do meu pombal

e do sal,

o rei da mesa.

Branco é pureza;

toalha de baptizado,

véu de noivado.

 

 

BRANCO

(versão do Jorge Barrocas, 5º B)

 

 

A neve que cai do céu,

vem muito devagar…

já pôs um branco chapéu

para depois ir voar.

 

E sobre a terra com frio

dá-me cá cada arrepio!

 

A neve é da cor da cal

(e já pintou o meu quintal)

e do sal,

que sabe tão mal…

Branco é pureza,

lembra, de certeza,

véu de noivado. 

                              Jorge Barrocas

Página seguinte »