anagramas


A mãe do tropa abriu a porta porque uma vizinha lhe trouxe um trapo. Ela foi dar o trapo à filha que ia assistir ao parto da potra. Quando chegou a casa, foi para a cozinha lavar o prato. Depois foi à rua e viu o rapto de uma criança, a senhora meteu-se a topar e resolveu optar por chamar a polícia.

Raquel Duarte, 5º A

Era uma vez uma potra da tropa de S. Miguel. Um dia, um tropa abriu a porta, entrou e foi meter comida no prato. Depois chamou-a para vir comer. Quando veio, o tropa foi buscar um trapo para a lavar. À noite, os tropas foram para a cama, só um resolveu optar por ficar acordado Nessa noite,  tropa viu que a potra tinha tido um parto de cavalinhos. No dia seguinte, um ladrão estava para fazer o rapto da potra, mas o tropa estava a topar e chamou logo a polícia.

Vanessa Marques, 5º A

Anúncios

Quantas palavras se conseguem escrever com as 5 letras da palavra PORTA, sem deixar nenhuma de fora nem repetir nenhuma?

Nove? Certo! Aqui estão elas: porta, potra, parto, prato, rapto, tropa, topar, optar, trapo.

Agora o desafio é escrever um texto usando estas nove palavras sem as modificar.

Ao lado de um castelo, com uma enorme porta, houve um parto, nasceu uma pequena potra. A tropa vai topar e fazer um rapto. Todos os tropas partiram um prato quando descobriram o que os outros fizeram. Vou optar por pegar num trapo e levar a potra à sua mãe.

Diogo Pascoal, 5º B

Era uma vez um mendigo. Saiu da porta de casa com um trapo. Um tipo da tropa estava a topar e resolveu optar por fazer um rapto.

O mendigo disse:

– Eu parto a tua pistola e atiro-te um prato!

Mas o mendigo fugiu com a potra.

Eduardo Urbano, 5º B

A potra é um cavalo pequenino.

A porta abre e fecha.

Eu queria um chupa mas vou optar por levar um chocolate.

Eu vou limpar o pó com o trapo.

Eu vou buscar um prato.

O meu pai trabalha na tropa.

Bruna Rafaela, 5º E

O meu primo abriu a porta e foi-me topar a optar por fugir. Ele foi andar de potra e um homem fez um rapto a um cavalo. Como o meu primo era tropa, foi atrás dele, agarrou num prato e amandou-lho mas falhou e tropeçou num trapo.

– Ai, que me parto todo!

David Antunes, 5º B

Se tu não te portares bem, rapto-te.

Se te meteres comigo, chamo a minha tropa.

Vou optar por aquelas sapatilhas.

A minha avó tem muito trapo em casa.

Se não me deres o que é meu, parto o que é teu.

Eu estou a topar o que estás a fazer.

Tenho um prato muito giro.

A tua potra é muito bonita.

Ruben Ferreira, 5º B

Exercício adaptado de:
"Quero Ser Escritor"
Margarida Fonseca Costa e Elsa Serra