O meu primo tem um  super-computador que tem uma mini-inteligência.

Quando eu utilizo o super-computador, fico horas e horas à espera que ele ligue. E depois, para conseguir jogar o meu jogo preferido, são horas e mais horas.

O super-computador é tão burro, tão burro que não sabe o que é ligar, desligar, aceder aos programas.

Um dia, a minha dia, farta da lentidão do computador, resolveu comprar-lhe uma “inteligência” maior. Foi a uma loja de informática e comprou a melhor que havia. O meu tio instalou-a e demorou apenas um segundo a ligar, outro a iniciar o jogo.

Agora sim, é um super-computador!

Vanessa Marques, 5.º A

Anúncios